A Apanhar Balanço

Two_roads___by_sunshine28

A ESTRADA NÃO TOMADA

Duas estradas divergiam num bosque de Outono,
E lamentando não as poder trilhar ambas
Sendo eu um só, quedei-me longamente
E olhei uma delas até onde conseguia,
Até onde, em declive, desaparecia.

Então tomei a outra estrada, igualmente bela,
e tendo até um encanto muito próprio,
Pois era verdejante e pedia que passassem por ela,
Embora todos os que por ali passaram
As tivessem desgastado por igual.

E ambas, nessa manhã, jaziam lado a lado
Em folhas que nenhum pisar enegrecera.
Oh, deixei a primeira para um outro dia!
Sabendo, no entanto, que um passo gera outro passo,
Eu duvidei se algum dia voltaria.

Eu estarei contando-te isto e suspirando,
Algures num futuro longínquo:
Duas estradas divergiam num bosque, e eu –
Eu segui pela que mais deserta me pareceu,
E isso fez toda a diferença.

Robert Frost

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: